sábado, 8 de agosto de 2015

Assistir Rambo 1 Programado para Matar Dublado Completo

"Assista Rambo 1 Programado para Matar"

No ano de 1982, Sylvester Stallone já não era mais um ilustre desconhecido tentando a sorte em Hollywood. Ele já era conhecido pelos seus bem-sucedidos filmes “Rocky – Um lutador” e “Rocky II – A Revanche”, tinha fama e dinheiro e estava prestes a lançar mais uma franquia que marcaria os anos 80.
Quando ele escreveu um roteiro ao lado de David Morrell, Michael Kozoll e William Sackheim, sobre um ex-combatente do Vietnã, baseando-se num livro escrito por Morell, dez anos antes e intitulado “First Blood”, estavam sendo dados os primeiros passos para a construção de um dos personagens mais icônicos do cinema norte-americano.
O filme que seria produzido a partir desse roteiro contava a história do capitão das forças especiais norte-americanas, John Rambo, que após escapar de uma prisão no Vietnã, decide voltar a seu país, para junto de sua família e tentar assim esquecer os horrores da guerra. Mesmo condecorado com honras militares e considerado um herói, Rambo quer apenas uma única coisa no mundo: paz.
Mas contratempos ao longo de sua jornada de volta faz com que ele tenha que enfrentar novos inimigos, na figura de um xerife de cidade pequena que confunde Rambo com um criminoso comum. A partir de então, o personagem deixa de lado sua busca pessoal e volta-se para o combate contra todos os seus perseguidores na cidade. Essa “nova guerra” faz com que Rambo seja novamente visto pelo exército de seu país, mas desta vez, não como um soldado condecorado, mas como uma máquina programada para matar.

John Rambo (Sylvester Stallone) é perseguido pelo xerife Will Teasle (Brian Dennehy).
Assim como na saga de seu personagem pugilista, Sylvester Stallone não se preocupa em simplesmente apresentar um filme com cenas de ação e violência. O principal elemento nesses filmes, e que está presente em “Rambo” é o drama humano do personagem e a desconstrução da alma sofrida por ele em decorrência das circunstâncias à sua volta. Se Rocky Balboa tinha que enfrentar seus problemas pessoais, além dos adversários, John Rambo levava consigo os demônios internos nascidos diante do terror provocado pela guerra do Vietnã.
Não é uma história de um homem que luta pelo país ou pela glória pessoal. Não é a história de um herói que enfrenta um inimigo terrível. É simplesmente a história de um ser humano alquebrado pelo mundo e pela vida, que tenta a redenção pelos seus atos passados e busca na solidão a paz que nunca conheceu.
Incompreendido por aqueles que estão à sua volta, a única linguagem de Rambo é a da violência extrema, como forma de mostrar sua inocência e consequentemente, salvar sua própria vida.
O filme “Rambo – Programado para matar”, lançado há 30 anos, não é uma história de ação pura e simples, ainda que como dito inicialmente, tenha sido responsável por consolidar um dos personagens mais populares da cultura pop e do cinema. Mais do que mostrar “um exército de um homem só”, o filme se preocupa em ser o mais próximo da realidade, sobretudo, no que diz respeito ao ser humano e sua constante e interminável luta consigo mesmo, rumo à libertação de seus próprios pecados.

Novamente Sylvester Stallone se preocupa em retratar o ser humano por trás do guerreiro, o homem por trás da guerra, de forma que o espectador não o veja como um simples personagem de ação, como, aliás, ele veio a se tornar ao longo da década de 80. A vitória do personagem não é algo que ele alcance com facilidade, pois sua busca pessoal é cem vezes mais terrível do que a pior das guerras.
No fim, “Rambo – Programado para matar” é a simples história de um homem. e como tal, procuramos nesse personagem algo que pode nos ensinar algo, nem que seja aprender a lutar pela nossa própria liberdade.